terça-feira, 3 de setembro de 2013

Tablets desprotegidos

Cerca de 80% dos brasileiros não protegem seus tablets

Por | em 23/Ago/13 |
Digitalmente o brasileiro é relaxado. Pelo menos é isso que pode ser notado de acordo com os dados de uma pesquisa realizada pela empresa especializada em segurança McAffe, que constatou que 81% dos brasileiros não protegem seus tablets com soluções de segurança, como antivírus. Já os smartphones ficam vulneráveis em 68% dos casos, e os notebooks fecham a lista, um pouco distantes, com 33%.
Cerca de 80% dos brasileiros não protegem seus tablets

Ataques a smartphones cresceram 40% no primeiro trimestre

Apesar de tal relaxo, os perigos são de conhecimentos dos brasileiros. Os dados do estudo mostraram que 39% das pessoas se preocupam com roubo ou extrativo dos aparelhos, enquanto 81% estão em alerta para roubo de identidade, furto de dinheiro ou estelionato na internet. Apesar disso, 63% dos entrevistados afirmaram que armazenam arquivos digitais únicos – que não podem ser criados ou baixados novamente – em seus dispositivos móveis.
O levantamento também avaliou tais arquivos digitais, que foram estimados em R$ 92 mil. Os objetos de maior valor, segundo a pesquisa, são as recordações pessoais, que valem R$ 26,4 mil, seguidas de informações pessoais, com R$ 21,6 mil, e registros pessoais, avaliados em R$ 21,4 mil. Fecham a lista, com larga diferença, os passatempos e projetos, com custo estimado de R$ 11,7 mil, as comunicações pessoais, com R$ 8,7 mil, e os arquivos de entretenimento, avaliados em R$ 1,9 mil.

Brasileiros não protegem seus tablets

Ainda segundo a McAffe, entre janeiro e março de 2013, a quantidade de sites perigosos aumentou em 12%, já o número de ataques a smartphones subiu em 40%. Smartphone que é o aparelho digital mais popular no país, estando presente nas mãos de 64% dos brasileiros, enquanto o notebook vem em seguida, com 62%. De acordo com a pesquisa, 90% das pessoas têm mais de um dispositivo digital, e 40% das casas tem cinco ou mais aparelhos conectados à internet.
Por fim, o estudo da empresa de segurança McAffe revela o tempo que cada pessoa passa nos seus dispositivos móveis. Metade das pessoas entrevistadas fica pelo menos 40 horas por semana navegando na rede mundial de computadores, tanto por motivos profissionais, quanto por motivos pessoais. Já 47% do total permanecem duas horas ou mais por dia em seus dispositivos móveis.

Nenhum comentário: