quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Windowns 9

10 recursos que o Windows 9 precisa ter

Woody Leonhard, Inforworld/EUA 12-12-2012

A Microsoft já está começando a pensar na próxima versão de seu sistema operacional. Hora de dizer quais recursos realmente queremos! Venho usando o Windows 8 há quase um ano, desde os primeiros previews abertos ao público, e constantemente encontro falhas em seu design. Desde o começo a Microsoft oferece aos usuários uma experiência desconcertante, que mesmo na versão final não impressiona e deixa os fãs mais ferrenhos do desktop sem saber como tirar o máximo do sistema. É quase como se a Microsoft estivesse apostando no Windows 8 como uma fonte de feedback para um eventual Windows 9, usando a reação dos usuários para determinar qual direção seguir e como suprir as deficiências do sistema atual. Segundo rumores a equipe de desenvolvimento do Windows já trabalha no processo de especificação do Windows 9 (ou será “Windows Blue”?), então é hora de nos fazer ouvir. Estes são, em ordem descrescente, os 10 recursos mais importantes que a próxima versão do sistema tem que ter, do ponto de vista de um usuário de longa data do desktop.

10. Um aviso: “Metro à frente” Sei que a nova Tela Iniciar, parte da interface anteriormente conhecida como Metro, é parte do pacote e que terei que lidar com ela de tempos em tempos. Mas o que eu realmente quero é uma forma de analisar meu sistema para identificar quais circunstâncias, programas ou ações irão me arrancar do desktop e me arremessar em meio a uma multidão de bloquinhos coloridos.


reviewwin8_inicial-360px.jpg
A Tela Iniciar, mudança controversa no Windows 8



Alguns casos são óbvios: dar um duplo-clique em um arquivo MP3 me leva ao aplicativo Música, que segue a nova interface e me cerca de anúncios para a loja de músicas da Microsoft. Mas ao menos sei que posso curar este comportamento instalando um player de música no Desktop e designando ele como o padrão para arquivos MP3. Outras transições não são tão óbvias, e suas curas não são tão claras. Microsoft, por favor, encontre uma forma de me avisar antes de me arremessar à nova interface.

 9. Um botão global de “mudo” Se acesso uma página barulhenta com o “novo” IE, ou se acidentalmente começo a tocar um vídeo que tem o volume no máximo, preciso de um zilhão de cliques para diminuir o maldito volume. Sei que meu PC deveria ter um controle de volume, mas não tem. Então tenho que levar o cursor do mouse até o canto superior direito da tela, esperar a barra de Charms aparecer, clicar em Configurações, levar o mouse até o controle de volume, clicar nele e aí sim ajustar o volume. Até lá já fiquei surdo! Um simples botão de mudo em um local acessível já seria muito útil. Que tal um atalho de teclado global para fazer o sistema “calar a boca”?

8. Um painel de controle que realmente controle tudo Alguém pode me explicar porque não consigo adicionar um novo usuário ao sistema usando o Painel de Controle? Porque tenho que ir até a seção “Usuários” em “Mudar configurações do PC”, na nova interface, para simplesmente adicionar um nome? E isso é só metade da história. Se quero adicionar uma nova conta de administrador a um PC com Windows 8, tenho que adicionar um usuário comum usando a nova interface, voltar ao Desktop, abrir Painel de Controle e entrar na seção Usuários para aí sim modificar o status da conta para o de um administrador. Isso é simplesmente ridículo.++++++++++++++++++++++++


reviewwin8_restore-360px.jpg
O painel de controle não controla tanta coisa assim


O Windows 9 merece um Painel de Controle que controle tudo. Se a Microsoft quer separar alguns ajustes mais simples em uma tela mais amigável dentro da nova interface, tudo bem. Mas não precisam “capar” o Painel de Controle tradicional só por causa disso.

7. Me deixem escolher o estilo visual A Microsoft abandonou o estilo visual Aero Glass no desktop porque ele exigia demais do processador de vídeo, aumentando o consumo de energia só para criar reflexos e transparências bonitinhos. Os “pobres” processadores ARM (que por acaso são produzidos por alguns dos mais avançados fabricantes de GPUs) não aguentariam a carga. Então fomos informados de que a Microsoft está “abandonando o Aero Glass - achatando superfícies, removendo reflexos e reduzindo gradientes que podem causar distração”, chamando a interface de “datada” e “brega”. Meh! Eu gosto do Aero Glass. Se você não gosta, tudo bem. Mas eu gastei algumas centenas de dólares em uma GeForce GTX 660 com 960 núcleos, 80 unidades de textura e 2 GB de memória DDR5 instalada em um barramento de 192 Bits. Posso renderizar todos os efeitos do Aero Glass com a mesma facilidade que uma faca quente corta manteiga. Tudo bem se a Microsoft quer simplificar a interface para que rode bem em um processador fracote. Ela pode até deixar o sistema com a cara do Windows 3.1 se quiser. Mas ao menos me dê a opção de voltar à interface que eu tinha no Windows 7, OK?

6. Apps Metro tão bons quanto os do iPad Compare qualquer app Metro com um equivalente para o iPad, e você verá que não há um sequer que esteja perto dos concorrentes. Pelo amor de Deus, o app Email sequer se conecta a um servidor de e-mail POP!. O visualizador de imagens não pode corrigir olhos vermelhos. Navegar até uma pasta, qualquer uma, é quase tão fácil quanto digitar “cd” num prompt do DOS. Os apps Xbox Music e Xbox Video são pouco mais do que gigantescos anúncios, com funcionalidade mínima. A versão Windows do iTunes, da qual frequentemente reclamo, tinha mais recursos nove anos atrás. Os apps Metro são tão ruins que dão vergonha. Aproveitando... porque não existe na nova interface uma calculadora que seja tão boa quanto a velha Calc.exe?

5. “Charms” que façam alguma coisa No momento os “Charms”, comandos padrão que ficam em uma barra na lateral direita da tela, não fazem lá muita coisa. "Pesquisar" te leva de volta para a Tela Iniciar, e sequer é capaz de rodar uma busca no Bing dentro da versão desktop do IE10. Inútil. “Compartilhar” chega a ser engraçado de tão ruim: não permite escolher um item na área de transferência, e está onde não deveria. “Nada pode ser compartilhado a partir do desktop”. Então porque diabos você aparece no desktop?

dicaswin8_charms-360px.jpg
Os "Charms" precisam melhorar muito

“Dispositivos” me convida a instalar um segundo monitor. Porque não me dar acesso aos dispositivos que já estão conectados ao meu PC, como o painel Dispositivos e Impressoras no Windows 7? Assim seria fácil ver se uma impressora está com papel atolado ou se um scanner em rede não está respondendo. Em vez disso, vejo uma oferta para “ampliar os horizontes” com um monitor que sequer existe. E "Configurações"... argh! Posso brincar com o controle de volume ou desligar a máquina, se encontrar estas opções, mas não posso fazer logout ou trocar de usuário. Ou posso abrir o Painel de Controle, aquele que não controla muita coisa. Aguenta, coração!

4. Notificações mais úteis O sistema de notificações no Windows 8, com pequenos painéis que “pulam” no canto superior direito da tela, é legal. Mas porque não posso ser notificado sobre coisas importantes? Porque não sou avisado se a conexão à internet cai? Se minha conexão 4G subitamente vira 2G, mais cedo ou mais tarde vou notar, mas porque o Windows não pode ser proativo e me dar o recado? Mais do que isso: a tecnologia SMART (Self-Monitoring, Analysis and Reporting Technology) é um padrão há quase duas décadas. Porque o Windows é incapaz de monitorar o status SMART de meus HDs e me avisar se um deles estiver prestes a falhar? Porque não recebo um alerta se a temperatura do meu processador está alta demais, ou se um dos ventiladores do gabinete parou de funcionar?

3. Dois monitores, com a nova interface em um deles Tentei de todas as formas, mas não há uma forma de colocar um monitor menor ao lado de meu monitor principal e dedicá-lo à nova interface. Alguém poderia fazer fortuna vendendo pequenos monitores sensíveis ao toque com telas de 10 polegadas, projetados para ficar ao lado dos monitores tradicionais com o único propósito de mostrar a nova interface e seus apps. Se eu cometo um erro e acidentalmente entro na nova interface, a tela principal continua no desktop, e não perco o fio da meada. O WIndows 8 tem bom suporte a múltiplos monitores, mas ainda não é esperto o suficiente para fazer o que eu quero. Deveria ser.

2. “Multi-Boot” Não estou falado de ter dois sistemas operacionais na máquina (Windows e Linux, por exemplo) e escolher entre eles no boot. O que digo é que deveria ser fácil dizer ao Windows, via Painel de Controle, para iniciar o sistema na nova interface ou no Desktop. E também seria legal poder redefinir a tecla Windows, para que ela te leve ao Desktop em vez da Tela Iniciar. Mas duvido que essa idéia seja posta em prática.

1. E o recurso mais desejado é... Tragam de volta o Menu Iniciar! Há um precedente para isso, e se você é usuário do Office de longa data deve ter notado uma evolução similar. O Office 2003 tinha os tradicionais menus no topo da tela: Arquivo, Editar, etc. O Office 2007 introduziu a “Ribbon”: em vez de menus em texto havia uma barra de ferramentas com as opções organizadas em “abas”. Clique em uma aba, “Editar” por exemplo, e os ícones relevantes à essa função aparecem. Me disseram que isso era “Progresso” com P maiúsculo, mas a Microsoft teve que ceder em alguns pontos.

nometro_desktop-360px.jpg
Existem truques para recuperar o desktop.
Mas que tal uma solução oficial?

Por exemplo, os usuários ainda tinham que abrir arquivos. Mas em vez de uma aba Arquivo a Microsoft esperava que eles entendessem “automagicamente” que era necessário clicar na esfera com o logo do Office no canto superior esquerdo da janela para encontrar os comandos relacionados. É como esperar que os usuários descubram sozinhos que é necessário clicar com o botão direito do mouse no novo Internet Explorer para abrir uma nova “aba”. Quanto chegou a vez do Office 2010 a Microsoft aparentemente descobriu que pessoas normais como eu e você não entendíamos o conceito, então conseguimos de volta uma versão modificada do menu Arquivo, na forma de uma aba na Ribbon, embora numa sequência fora de ordem. No Office 2013 temos de volta o menu arquivo, com a maioria dos itens na sequência do Office 2003: Novo, Abrir, Salvar, Salvar como... Levamos 10 anos para completar o ciclo, de um menu Arquivo visível e usável para algo obscuro, depois usável mas fora de ordem e por fim uma recriação quase completa do menu do Office 2013. Eu diria até que ele é melhor que o original. Por favor, Microsoft, dá pra fazer a mesma coisa com o menu Iniciar no Windows 9? Só não demorem tanto tempo.

pcworld/EUA

Nenhum comentário: