domingo, 29 de maio de 2011

Alternativas Office

4 alternativas ao Microsoft Office

Você não precisa pagar uma fortuna pelo pacote de aplicativos de escritório da Microsoft. Selecionamos as melhores opções, sejam aplicativos tradicionais ou serviços online

O Microsoft Office pode ser o pacote de aplicativos de escritório dominante no mercado, mas não é o único. Há múltiplas alternativas gratuitas ou de baixo custo que podem atender às suas necessidades, especialmente se você é um usuário doméstico ou uma pequena empresa. Conheça algumas delas.

Google Docs

Gratuito, o Google Docs permite que os usuários importem ou criem documentos, planilhas e apresentações e depois os editem diretamente no navegador. Também é possível editar documentos e planilhas em smartphones e tablets com Android 2.2 ou superior, ou iPhones, iPods e iPads com o iOS 3.0 ou superior. O uso pessoal é gratuito, mas para uso corporativo o Docs é parte de um pacote com as Google Apps, que custa US$ 50 dólares por funcionário por ano.


google_docs-360px.jpg
Google Docs: edite seus documentos no PC, em tablets e smartphones


Abrir arquivos criados em outros programas pode ser um incômodo, pois é necessário importá-los e convertê-los antes, processo que pode causar problemas de formatação (especialmente em documentos criados com versões recentes do Microsoft Office). A manipulação de arquivos é mais difícil do que deveria, e a interface peca por ser minimalista demais. Como tudo funciona online, você precisa de uma conexão constante à internet para usar o serviço: a capacidade de edição “offline” de documentos só estará disponível em alguns meses.

LibreOffice

Gratuito e de código-aberto, o LibreOffice contém processador de textos, planilha de cálculo, editor de apresentações, editor de imagens vetoriais e diagramas, uma interface para bancos de dados e um editor de equações simples. Uma versão “portátil”, que roda direto de um pendrive sem necessidade de instalação no PC, também está disponível.


libreoffice_writer-360px.jpg
LibreOffice: poderoso, gratuito e roda até de um pendrive


A interface do LibreOffice 3.3 será familiar a qualquer um acostumado com o Microsoft Office, mas pode ser facilmente personalizada se necessário. Documentos, planilhas e apresentações criadas com o Microsoft Office e OpenOffice.org (do qual o LibreOffice se originou) não causaram problemas para o LibreOffice, e um documento criado no LibreOffice foi aberto sem problemas no Word.

A versão em português brasileiro do LibreOffice era conhecida até recentemente como BrOffice.org. Ela está disponível para download no site oficial, em www.libreoffice.org.br

SoftMaker Office

O SoftMaker Office 2010 (US$ 80, em versões para Windows, Linux, Windows Mobile e Windows CE) tem módulos para processamento de textos, planilha de cálculos e apresentações, e tem uma linguagem de script que permite a automação de tarefas recorrentes.

A interface do SoftMaker é bastante similar à do Microsoft Office, e cada módulo é recheado de recursos. O processador de textos TextMaker, por exemplo, incorpora uma boa quantidade de funções úteis para editoração eletrônica. Recursos gráficos são particularmente excepcionais.


textmaker-360px.jpg
SoftMaker Office 2010: bons recursos para editoração eletrônica

Importamos arquivos do Word, Excel e PowerPoint sem problemas. Entretanto, os módulos são separados entre si, o que exige que o usuário alterne manualmente entre eles caso esteja trabalhando com mais de um tipo de arquivo simultâneamente. Não encontramos problemas para abrir arquivos criados com o SoftMaker Office no Microsoft Office.

Zoho

Assim como o Google Docs, o Zoho é um pacote de aplicativos baseado na web que é acessado usando o navegador. O sistema online de gerenciamento de documentos Zoho Docs é composto por um processador de textos, planilha e ferramenta para apresentações, entre outras, permitindo que os usuários armazenem os arquivos em um local central e os acessem e compartilhem de qualquer lugar.

O uso pessoal é gratuito, e o uso corporativo vai de gratuito (com 1 GB de espaço para arquivos e um projeto ou “workspace”, nome dado a uma pasta temática com vários documentos que pode ser compatilhada com seus colegas) até 5 dólares mensais por usuário (com 20 projetos).


zoho-360px.jpg
Zoho Docs: possibilidade de edição de documentos offline

Um plugin permite criar, editar e salvar documentos no Zoho Docs a partir do Word e Excel. O processador de textos também tem um modo offline. O acesso móvel aos documentos pode ser feito a partir de aparelhos com iOS, Android, Blackberry, Symbian (S60) e Windows Mobile.

Comparada ao Google Docs, a interface do Zoho Docs é uma beleza, elegante e intuitiva. Não tivemos problemas ao importar documentos do Word, Excel ou PowerPoint. Documentos criados com o Zoho foram abertos com o Microsoft Office sem problemas. Ferramentas de compartilhamento e colaboração são fáceis de usar, e gostamos do fato de que o Zoho permite aos usuários ver e editar os últimos 25 documentos offline, com sincronia automática com a versão online assim que a conexão à internet for restaurada.

Tivemos alguns probleminhas com lentidão durante nossos testes, mas ele nos deu a impressão de ser um pacote bastante completo.

Conclusão

Todas as alternativas ao Office que apresentamos tem seus pontos fortes, mas entre as opções online preferimos o Zoho Docs, e entre as soluções offline ficamos com o SoftMaker 2010. Mas tenha em mente que o LibreOffice tem a vantagem de ser gratuito, de código aberto e ter excelente suporte ao nosso idioma.

Em todo caso, todos os programas que mencionamos podem ao menos ser experimentados gratuitamente. Se você está procurando um novo pacote Office, recomendamos que dê uma olhada em todos eles.

PCW

Nenhum comentário: