domingo, 27 de fevereiro de 2011

Caem 10% nos USA

Denúncias de crimes praticados pela Internet caem 10% nos EUA


Fraudes com venda de bens na web cresceram no período, mas spam e o velho golpe de prêmios mediante pagamento de taxa sofreram queda.

O número de denúncias de atos criminosos na Internet nos Estados Unidos em 2010 foi 10% inferior do que o registrado em 2009, segundo o site Internet Crime Complaint Center (IC3), onde as vítimas podem relatar detalhes de fraudes encontradas na web.
Todos as denúncias são compartilhadas com autoridades policiais locais para ajudá-los a encontrar os criminosos. De acordo com o estudo, em 2010, cerca de 303,9 mil denúncias foram registradas, menos que os aproximadamente 336,7 mil casos de 2009.
De todas as denúncias, a maior parte delas foi de usuários enganados por criminosos que fingiam ser compradores ou vendedores de produtos na Internet. Na última década, golpistas (scammers) internacionais atingiram os usuários do eBay e do Craigslist, fazendo milhões de vítimas.
Há uma semana, por exemplo, o cidadão romeno Adrian Ghighina, se declarou culpado por participar de um golpe de 2,7 milhões de dólares ao enganar usuários do eBay, do Craigslist e do AutoTrader.com com anúncios 'especiais' de veículos que nunca eram entregues. 
Leilões de fora
Ainda que sem contabilizar casos de fraude em sites de leilão online -  que o IC3 avalia separadamente - fraudes como estas representaram 14,4% das queixas, de acorod com o IC3. Este é um aumento considerável em relação a 2009, quando o total foi de 11,9%. 
Por outro lado, os casos de spam - que foram os campeões de denúncias em 2009 - caíram em 2010. Há dois anos, o principal caso que envolvia e-mails falsos do FBI com malwares em anexo foram um grande problema para os internautas e totalizaram quase 17% de todas as reclamações. Em 2010, esse número caiu para 13,2%.
Outra redução importante foi no número de denúncias de casos em que as vítimas recebem a promessa de que podem ganhar um prêmio na loteria ou uma grande herança, caso paguem uma falsa taxa administrativa. O número de ocorrências como essa caíram de 9,8% em 2009 para 7,6% no ano passado.
“Não surpreende que os golpistas estejam procurando por novas técnicas. Afinal, os consumidores estão adquirindo cada vez mais conhecimento sobre alguns desses crimes“, disse o sócio do escritório de advocacia White & Case, Adam Chernichaw, que presta consultoria a empresas de serviços financeiros.
Mas, de acordo com Chernichaw, outro fator importante, é que as empresas estão lidando cada vez melhor com tentativas de fraude. "Os comerciantes estão mais atentos sobre transações suspeitas e ferramentas de detecção automática contra fraude", disse ele.
A divulgação dos resultados ocorreu na quinta-feira (24/2) e teve como base os dados relatados nos EUA no ano passado.
bom sinal

Nenhum comentário: