sábado, 11 de julho de 2009

75% das novas ameaças são cavalos de troia

Vírus do tipo cavalo-de-tróia (trojan), usados para se infiltrar no sistema da vítima e abrir portas para softwares maliciosos, representaram 75% das novas ameaças registradas entre abril e junho deste ano pela fornecedora de softwares de segurança Panda Security.

O relatório da divisão PandaLabs, da empresa, também mostra uma queda de 6% no volume de softwares espiões, que circulam na rede para capturar informações confidenciais e bancárias dos internautas, no segundo trimestre deste ano. Os spywares representam apenas 7% das novas ameaças, segundo a Panda.

A incidência de ataques usando adwares - aplicativos para exibir publicidade online, geralmente em banners, que podem conter códigos maliciosos - aumentou no segundo trimestre e a ameaça passou a representar 16% de todos os softwares maliciosos registrados pela empresa de segurança no período. De acordo com o PandaLabs, o aumento se deve a aplicações falsas de antivírus - tipo de adware que se faz passar por uma solução verdadeira de segurança.

O levantamento indica que os cavalos-de-tróia foram responsáveis por 34% das infecções identificadas pela empresa entre abril e junho, especialmente pelo trojan Downloader.MDW.

A empresa de segurança também alertou para o crescente número de ameaças no Twitter. A técnica mais usada é conhecida como cross-site scripting, que afeta o usuário do serviço ao clicar em uma página infectada por meio do microblog.

Nenhum comentário: