terça-feira, 30 de junho de 2009

FIREFOX 3.5

Ao ser lançado, menos de cinco anos atrás, o Firefox 1.0 pôs fim ao cenário no qual apenas o navegador da Microsoft, o Internet Explorer, parecia ser viável. Com o lançamento do Firefox, a Mozilla conseguiu provar que milhões de pessoas estavam ávidas por um novo e melhor browser.

Hoje, felizmente, podemos contar não com dois, mas com vários programas para acesso à internet. Não só o FIREFOX ,o minimalista Chrome (Google), o bonito Safari 4 (Apple), o Opera e até mesmo o Flock estão aí para enfrentar o não mais engessado Internet Explorer 8.

Depois de avaliar por um bom tempo as versões prévias do que seria o Firefox 3.5, podemos concluir que o browser da Mozilla continua sendo a melhor alternativa para a maior parte dos internautas.

Tal recomendação tem por base não só a (boa) fama de inovador que o Firefox conquistou ao longo dos anos. As melhorias que encontramos na versão 3.5 do navegador estão relacionadas ao desempenho do software, ajustes em funcionalidades que já existiam, inclusão do que já estava disponível na concorrência, mas inexistia no Firefox e suportes aos mais recentes padrões web.

Em outras palavras, o browser da Mozilla não está recheado de inovações matadoras. Contudo, o que vimos nele mostra que ele continua um páreo duro para qualquer de seus rivais.

Veja a seguir, em ordem de importância, o que há de melhor no novo Firefox 3.5.

Desempenho
Das mais variadas formas, as versões mais recentes de programas para acesso à web estão promovendo uma verdadeira corrida e todos os desenvolvedores tratam a questão velocidade como questão de honra.

Todos procuram melhorar o tratamento de JavaScript, linguagem de programação utilizada virtualmente por todos os sites na web e que é responsável pela entrega de aplicações online com sofisticadas funcionalidades, como é o caso do Gmail.

A Mozilla desenvolveu um novo mecanismo de tratamento para JavaScript no Firefox 3.5, denominado TraceMonkey.

Submetido ao software de verificação de desempenho SunSpider, contatamos que o TraceMonkey é 2,6 vezes mais rápido que o mecanismo de JavaScript usado até então pelo Firefox. Esse desempenho coloca o novo navegador pouco a frente do Safari 4, mas ainda atrás do desempenho oferecido pelo Chrome 2.0 beta.

A imagem abaixo mostra o desempenho (em milissegundos) dos diferentes navegadores submetidos ao SunSpider. Os testes foram realizados em um Lenovo ThinkPad SP300 com chip Intel core 2 Duo de 1,8GHz e 2 gigabytes (GB) de memória RAM. Quanto menor a barra azul, melhor o desempenho do browser.

Nenhum comentário: