quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Industrias de Antivirus lutam p/ Sobreviver



Antivírus se reinventam para tentar sobreviver


Softwares buscam novas saídas para identificar pragas virtuais.
Técnica da 'análise de comportamento' é uma das alternativas.


"Instale um antivírus e mantenha-o atualizado". Essa ainda é a sugestão mais comum para usuários quando o assunto é segurança da informação. Mas os antivírus atualmente estão continuamente perdendo terreno para outras soluções e medidas de segurança. Isso acontece não apenas porque as ameaças estão mudando, mas porque os antivírus não estão conseguindo manter os vírus sob controle, como uma vez conseguiam. Embora nada deva mudar no curto prazo, os antivírus precisarão se reinventar para continuar no mercado.



A imagem acima, criada pela relativamente pequena empresa de antivírus austríaca Ikarus, ilustra o declínio da força da indústria. Se em 1998 os vírus eram fracos e incapazes de burlar os programas de segurança, hoje a situação se inverteu: quem manda são os vermes digitais. Mesmo assim, ninguém esquece de recomendar a instalação de programas antivírus.

Seria possível dizer que eles são menos necessários hoje do que eram em 1998? Naquele ano, quase todos os vírus se espalhavam por disquetes ou macros do Microsoft Word. Era difícil saber se um arquivo estava infectado ou não. Hoje, essas pragas não existem mais e quase todos os vírus se espalham por meio de e-mails e mensagens (de MSN, Orkut) maliciosas ou por brechas de segurança – ambos podem ser evitados por um usuário experiente.



Mas a situação só chegou no ponto que está hoje justamente porque a maioria das pessoas usa um antivírus. O que aconteceria se todos resolvessem abandonar os softwares é difícil de prever, mas não seria errado pensar que algumas táticas antigas voltariam a ser usadas. Táticas que atualmente não valem a mais a pena quando considerada a ação (mesmo que tardia) dos antivírus.

A resposta dos antivírus às ameaças é lenta porque as pragas virtuais não são identificadas imediatamente. Demora um pouco até que uma cópia do vírus chegue em um laboratório. Depois é necessário um período de análise, em que o programa é examinado. Se funções maliciosas forem encontradas, é então criada uma “vacina” (assinatura). Há ainda mais algum tempo até que a atualização seja testada – para evitar falsos positivos – e disponibilizada.

Esse modelo tradicional está falhando. Com a internet cada vez mais rápida e seus usuários cada vez mais conectados em redes sociais e mensageiros instantâneos, pragas digitais podem espalhar-se pela rede rapidamente. Muitos usuários são infectados antes mesmo de o antivírus ser atualizado e, uma vez dentro do sistema, os códigos maliciosos se encarregam de inutilizar os produtos de segurança.

Uma solução para esse problema está chegando na forma de “análise de comportamento”. Nesse modelo, o antivírus monitora continuamente todos os programas em execução no computador. Cada atividade dos softwares é considerada maliciosa ou inofensiva. Se várias tarefas suspeitas forem realizadas por um mesmo aplicativo, o antivírus irá considerá-lo malicioso. Desde que o vírus se comporte de forma semelhante a pragas conhecidas, ele será reconhecido como malicioso sem a necessidade de uma vacina específica.

A análise de comportamento ainda precisa de muitas melhorias. Em vários casos, ela simplesmente não funciona e deixa o cavalo de tróia ou vírus agir livremente. É por isso que ela só está sendo usada como complemento à solução clássica de assinaturas. Não são poucos os antivírus que incorporam algum tipo de análise de comportamento, chamada às vezes de HIPS (Host Intrusion Prevention System).

Outra saída para o problema é o uso de uma “lista branca” (whitelist). Os antivírus de hoje trabalham com uma “lista negra” (blacklist), pois consideram tudo legítimo, exceto o que for previamente identificado como malicioso. Um programa que protege o computador com base em uma lista branca considera absolutamente tudo prejudicial, com exceção dos softwares permitidos.

A idéia de substituir a lista negra por uma lista branca é atraente porque o número de pragas virtuaisestá ficando maior do que o de aplicativos legítimos. Ao contrário dos softwares seguros, os códigos maliciosos alteram a si mesmos para evitar os antivírus, o que facilita a identificação dos programas desejáveis.

Em ambientes fechados, como empresas – maior faturamento do setor de software -, o número de aplicativos usados é ainda menor, o que favorece as listas brancas.

O Norton AntiVirus 2009, da Symantec, utiliza uma lista branca para acelerar a velocidade do exame antivírus. Segundo a empresa, existe um banco de dados contendo informações sobre diversos programas inofensivos. O software consulta esse banco de dados e dispensa a análise de softwares conhecidos.

Mudanças como essas mostram que a indústria antivírus está procurando caminhos para sair do labirinto em que se encontra. Mas essas novidades vão criar outros desafios. Alguns deles já apareceram, por exemplo, nos testes antivírus. Testar um recurso de análise de comportamento é complicado, pois necessita que as pragas digitais estejam em execução. Por outro lado, um teste com uma ferramenta que aplica listas brancas passaria a necessitar uma coleção enorme de aplicativos verdadeiros, ao contrário do que se tem hoje (coleções de arquivos maliciosos).

O que sabe é que os antivírus deixaram de ser uma proteção totalmente adequados. Isso é reconhecido por empresas como a Ikarus com sua ilustração e pelo Eugene Kaspersky, da Kaspersky Lab, que no início de 2007 disse que “havia um tempo em que pensávamos que a tecnologia antivírus era suficiente, mas este tempo se foi”. Segundo Kaspersky, o combate aos vírus precisa de ajuda de desenvolvedores de sistemas operacionais e também da educação dos usuários.

O antivírus não está morto. Ele precisa reinventar algumas de suas tecnologias e reencontrar seu lugar em um mercado mutante. As novas soluções para o problema de código malicioso ainda precisam ser refinadas e, uma vez maduras, estará festejando aquele que apostar na tecnologia certa, pois não é garantido o espaço para todos.

Hoje é isso pessoal. Espero que tenham gostado. Na quarta-feira (3) volto com respostas a dúvidas de leitores e na sexta-feira (5) tem o resumo de notícias da semana. Por hora, deixe sua dúvida ou sugestão de pauta nos comentários!

* Altieres Rohr é especialista em segurança de computadores e, nesta coluna, vai responder dúvidas, explicar conceitos e dar dicas e esclarecimentos sobre antivírus, firewalls, crimes virtuais, proteção de dados e outros. Ele criou e edita o Linha Defensiva, site e fórum de segurança que oferece um serviço gratuito de remoção de pragas digitais, entre outras atividades. Na coluna “Segurança para o PC”, o especialista também vai tirar dúvidas deixadas pelos leitores na seção de comentários.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Tutorial de Configuração do AVIRA Antivirus

tutorial de configuração:
1º- Abra o antivir dando 2 cliques em cima do ícome dele;
2º- Depois clique em CONFIGURATION;
3º- Na janela que abrir, primeiro clique em EXPERT MODE, em cima, depois clique em todos os sinais de + para abrir o leque de opções.
4º- Agora clique em SCAN e no lado direito, onde está escrito FILES, clique em ALL FILES. Clique em todos os quadrinhos de ADDITIONAL SETTINGS. Em SACN PROCESS, marque a caixinha e escolha a opção HIGH em SCENNER PRIORITY.
5º- Clique na próxima aba: ACTION FOR CONCERNING FILES e clique em INTERACTIVE. Essa opção, quando for encontrado algo, abrirá uma janela para vc decidir o que fazer, sempre mande em QUARANTINE.
6º- Em FURTHER ACTIONS, marque a opção ACOUSTIC ALERT.
7º- Em ARCHIVES, marque as 3 primeira opções, só deixe DESMARCADO a última: LIMIT RECURSION DEPTH
8º- Em EXCEPÇÕES não precisa fazer nada.
9º- Em HEURISTIC, marque as opções: MACROVIRUS HEURISTIC, WIN32 FILE HEURISTIC e HIGH DETECTION LEVEL.
10º- Em REPORT, vc poderá deixarm em DEFAULT.
11º- Em GUARD, marque as opções: SCAN WHEN READING AND WRITING, ALL FILES e UNPACK RUNTIME COMPRESSED FILES.
12º- Em ACTION FOR CONCERNING FILES, marque as 2 opções.
Vamos pular EXCEPTION
13º- Em HEURISTIC, deixe igual ao outro Heuristic que vc já configurou.
Em REPORT, deixe do jeito que está.
14º- Vamos pular para EXTENDED THREAT CATEGORIES, clique no quadrinho SELECT ALL.
15º- Em SECURITY, marque todas as opções e coloque o valor de 1em ALERT, IF LAST UPDATE OLDER (VALOR 2) DAY'S.
Em EVENTS, REPORTS e DIRECTORIES, deixe como está.
Para finalizar clique OK

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Um Ótimo Anti-Rootikit

O Panda Anti-Rootkit é uma ferramenta leve e funcional para detectar e remover rootkits, uma nova espécie de vírus com um sistema muito avançado de programação.

O programa é simples e prático. Sua funcionalidade é resumida em rastrear o sistema na busca de rootkits — verificando principalmente os processos ocultos — e apagar eventuais ocorrências. Ao final, é exibido um relatório com os resultados do escaneamento. Ao contrário de alguns softwares do gênero que apenas revelam os rootkits, o Panda Anti-Rootkit, além de removê-los, também apaga as entradas do registro, processos e arquivos relacionados a eles.

O que são rootkits exatamente?

Os rootkits são uma das formas mais traiçoeiras de vírus encontradas atualmente. Sua principal característica é se camuflar no sistema, de modo que não seja detectado por programas antívirus. Possuem programação avançada e geralmente são utilizados por hackers para a invasão de sistemas, sem que sejam percebidos. Infelizmente, ainda não existem programas preventivos para tal problema, mas há cuidados que o usuário pode tomar para evitá-lo.

Prevenindo-se:

  • Utilize contas de usuários limitadas no Windows, as quais restringem o uso de alguns recursos do sistema que o rootkits utilizam para se instalar.


  • Seja cauteloso ao baixar arquivos em redes P2P (peer-to-peer), local onde eles geralmente são distribuídos.


  • Mantenha seu sistema atualizado. Sempre que disponível, instale as atualizações do Windows, pois elas vêm com correções para falhas de segurança que, se não corrigidas, podem ser usadas para a introdução do rootkit no sistema.


  • Não utilize programas do tipo cracks, pois além de ilegais, são os principais hospedeiros destas pragas. Além disso, sites que hospedam programas assim, comumente possuem códigos maliciosos que prejudicam seu computador ao serem acessados.


  • Infelizmente, ainda não há programas que previnam este mal, porém se o seu computador estiver se comportando de forma irregular sem motivo, mesmo após a utilização de antívirus e limpadores de registro, não perca tempo em escaneá-lo com o Panda Anti-Rootkit, pois o quanto antes detectado, melhor!
    Baixaki
    http://www.baixaki.ig.com.br/download/panda-anti-rootkit.htm

    sábado, 13 de dezembro de 2008

    Configurando o Comodo Firewall PRO

    Ao abrir o comodo

    Em SUMMARY:

    Network Defense
    Deve estár em Custom Policy Mode
    Na aba Proactive Defense
    Deve estár em Safe Mode

    Para colocar em Custom Policy Mode aponta-se o rato em cima do símbolo da firewall da comodo que está na barra do sistema ao lado do relogio clica-se com o botão do lado direito do rato,depois aponta-se onde diz Firewall Security Level e selecciona-se Custom Policy Mode, para o Safe Mode o procedimento é o mesmo só que em vez de ir onde diz Firewall Security Level deve-se ir onde diz Defense+ Security Level.


    Em FIREWALL:
    Na aba Common Tasks
    Ir onde diz Stealth Ports wizard e seleccionar,
    Block all incoming connections-stealth my ports to everyone,carregar em next e confirmar clicando em ok, para que todas as portas fiquem em modo stealth, o resto deixar como está.

    Na aba Advanced
    Onde diz Attack Detection Settings clicar em cima e na janela de configurações que aparece
    Em Intrusion Detection Seleccionar onde diz:
    Protect the ARP Cache e também onde diz Block Gratuitous ARP Frames, o resto pode ficar como está.
    Ainda na mesma janela onde diz Miscellaneous seleccionar as duas primeiras opções e aplicar.

    Na aba Network Security Policy clicar em cima e na janela de configurações que aparece onde diz Applications Rules:
    Aqui se pode selecionar quais as apliações que terão acesso a internet de salientar que as aplicações permitidas (confiáveis) tais como antivírus e etc,etc devem estár em cima de todo e as aplicações bloqueadas em baixo de todo porque, a firewall primeiro lê as aplicações confiáveis e só depois as bloqueadas, para se bloquear uma aplicação de ter acesso à internet clicar em Add>Select>Browse e indicar qual vai ser a aplicação bloqueada "por exemplo=iexplore.exe" tem de ser sempre o ficheiro exe da aplicação depois de seleccionado marcar onde diz:
    Use a Predefíned Policy=Blocked Application e carregar em aplicar.
    Nas outras abas deixar como está.

    Para remover ou uma aplicação bloqueada basta seguir os mesmos passos da aba Network security Policy mas em vez de selecionar Add selecionar remove.
    Para desbloquear uma aplicação bloqueada clicar em cima da respectiva aplicação com o botão do lado direito do rato, edit e selecionar:
    use a custom policy>copy from>predefíned security polícies>trusted application e aplicar.

    Ainda na mesma janela mas onde diz Global Rules clicar em Add e na janela que aparecer colocar da seguinte forma:
    Action: Block
    Protocol: TCP
    Direction: In/Out
    Description: RPC

    Depois na aba:
    Destination Port seleccionar:
    A single Port e na caixa que aparece escrever 135

    Este procedimento é para fechar totalmente a porta 135 que é a porta que os hackers mais usam para invadir por ser a porta de controlo remoto do computador, este procedimento também serve para bloquear outras portas no computador a única coisa que muda é o protocolo que tanto pode ser TCP/UDP/ICMP/IP portanto convêm saber qual é o protocolo que cada porta usa por exmplo:
    Porta 135=TCP
    Porta 137=UDP
    Porta 138=UDP
    Porta 139=TCP
    Porta 445=TCP
    No entanto não convêm bloquear todas estas portas pois ficaremos com a internet demasiadamente lenta porque as portas 137 UDP,138 UDP e 139 TCP é necessário que estas três portas estejam abertas na firewall para que a internet chegue até nós nas melhores condições, portanto bloqueamos só a porta 135.

    Em DEFENSE+

    Na aba common Tasks deixar como está.
    Na aba Advanced:
    Onde diz General Settings deixar como está isto é:
    Deixar marcado só onde diz,Trust the applications Digitally signed by Trusted Software Vendors,
    Nunca seleccionar onde diz,Block all the unknown requests if the application closed porque ao ser seleccionada esta caixa fará com que quando o computador for ligado ou reiniciado todas as aplicações que iniciam com o sistema não arranquem incluindo o antivírus.
    Nem seleccionar onde diz,Desactive the Defense+ permanently (Requires a system restart) mas esta deixo ao critério de cada um.
    Ainda nesta janela onde diz Monitor Settings deixar tudo como está.

    Na aba Computer Security Policy:
    Por tudo em custom policy menos as que já estão predefinidas pela firewall que são,Windows System Applications,Windows Updater Applications e COMODO Firewall Pro, nestas não se deve mexer em nada.

    Quanto ao resto deixar tudo como predefinido pela firewall, convêm dizer que embora tenha aqui algumas explicações sobre como bloquear e desbloquear certas portas e programas este tutorial destina-se somente a aumentar a segurança do computador e da firewall.

    Tutorial Avast - Parte III

    Parte 3: Configurações

    Apesar da configuração padrão do Avast já ser suficiente para o uso, você pode ajustá-lo para as suas necessidades. Para configurá-lo, clique com o botão direito do mouse sobre o ícone próximo ao relógio e selecione as Configurações do programa:




    Nos itens Gerais você poderá ativar ou desativar a verificação da memória na inicialização, ativar ou desativar a detecção de disquetes, CDs e outras mídias removíveis no drive ao desligar, habilitar ou desabilitar skins (se essas foram instaladas) e definir opções em relação à Extensão do Explorer (opções apresentadas após clicar com o botão direito do mouse sobre o ícone de algum arquivo).

    Em Aparência você pode ativar ou desativar efeitos de transparência que melhoram a aparência da interface do antivírus, exclusivamente no Windows 2000 ou XP.




    Em Quarentena você pode definir o tamanho máximo destinado para manter os arquivos que estão em quarentena.




    Em Confirmações você pode definir em quais eventos uma janela de confirmação deve aparecer. Recomenda-se manter todos marcados.




    Em Idioma você pode alterar o idioma do antivirus ou baixar idiomas adicionais da Internet.




    Em Sons, altere ou desative os sons do Avast.




    Em Arquivos de log você poderá definir o tamanho o log e as informações que deverão ser incluídas nele.




    Em Exclusões você poderá definir quais pastas ou arquivos não serão verificados pelo antivírus. Útil para acelerar a execução de arquivos em pastas confiáveis. Use essa opção com cuidado.




    Em Atualização (Básica) você deve escolher de que forma, as atualizações do banco de dados e do software antivírus, serão executadas.




    Em Atualização (Conexão) selecione seu tipo de conexão à Internet: Dial-Up (Discada/Banda-larga com autenticação) ou Permanente (Por rede/Banda-larga sem autenticação).




    Em Alertas você poderá configurar o envio de alertas remotos.




    Em Relatório você pode escolher se deseja criar um arquivo de log das verificações de vírus e que informações colocar nele.




    E em SMTP você poderá configurar o antivírus para que envie e-mails para você usando o seu cliente de e-mail.




    Conclusão

    O Avast!Antivirus mostrou-se um excelente antivírus. Por exigir poucos recursos do computador, é ideal para praticamente todos os computadores que se conectam à Internet. Uma interface com linguagem simples, ajuda usuários iniciantes na parte de configuração. É um antivírus muito eficiente, capaz de detectar as ameaças mais recentes - que, diga-se de passagem, é a obrigação de qualquer antivirus - por ser atualizado diariamente. Portanto se você quer proteção sem gastar nada por isso, o Avast é uma ótima opção!

    Tutorial Avast - Parte II

    Parte 2: Iniciando o uso do Avast



    Após a instalação, o Avast criará dois ícones ao lado do relógio: um com a letra i e outro com a letra a. Interessa-nos o segundo. Esse ícone não está ali apenas para indicar que o antivírus foi carregado. Ele também mostra quando a proteção em tempo real está em ação. Toda vez que você abre algum arquivo ou página uma pequena verificação de vírus é feita. Quando isso acontece, o ícone começa a girar, conforme a figura abaixo:




    Também é através desse ícone que acessaremos todos os recursos oferecidos pelo antivírus. Basta clicar com o botão direito do mouse para ver uma lista de todas as tarefas.



    Vc pode clicar com o botao direito do Mouse sobre o Icone com a letra i, e selecionar a opcao "Mesclar", com isso o icone ira sumir.


    Antes de qualquer varredura de vírus no computador, vamos nos certificar de que o antivírus está preparado para reconhecer qualquer tipo de ameaça, principalmente as mais recentes. Para isso, após conectar-se à Internet, clique com o botão direito do mouse sobre o ícone do Avast, aponte para Atualização e clique em Banco de Dados. O processo de atualização inicializará imediatamente.




    Aguarde o término da atualização e a janela abaixo aparecerá.




    Feita a atualização, já podemos fazer a primeira verificação de vírus no computador.

    Clique com o botão direito do mouse sobre o ícone do Avast e selecione a opção Iniciar o antivírus avast!. Antes da interface principal abrir, um teste será feito na memória do computador. Esse teste procura por qualquer vírus que possa estar em execução no momento e tenta pará-lo. O teste poderá demorar alguns minutos, mas pode ser interrompido a qualquer momento clicando-se no botão Parar teste de memória.




    A janela principal será exibida. Se você não estiver usando nenhuma skin, a tela será parecida com essa:




    Ela está dividida em 4 áreas: Área a ser escaneada, Tipo de escaneamento, Informação e Escanear.

    Na primeira área, selecionaremos onde vamos efetuar a verificação.

    Discos rígidos locais - Faz uma verificação em todos as pastas de todos os discos rígidos instalados no computador.
    Pastas - Faz a verificação somente nas pastas e/ou unidades selecionadas. Após clicar nessa opção a janela abaixo surgirá. Basta marcar a caixa de seleção ao lado da pasta desejada.




    Disquetes -
    Faz a verificação em qualquer disquete que esteja inserido na unidade de disquete.
    CD/DVD - Faz a verificação nos discos que estiverem inseridos nas unidades de CD ou DVD.

    Após selecionar os locais a serem verificados, escolha também o tipo de escaneamento. Temos as seguintes opções:

    Escanear conteúdos dos arquivos - Verifica também os arquivos que estiverem dentro de arquivos compactados (ZIP, CAB, RAR...).
    Rápido - Faz uma verificação somente nos tipos de arquivo tipicamente infectados por vírus.
    Padrão - Verifica arquivos que possam conter vírus.
    Completo - Faz uma verificação profunda em todo e qualquer arquivo contido nas pastas selecionadas.

    Recomenda-se sempre selecionar a opção Completo. Apesar de longa, teremos certeza de que não há vírus no PC.

    A seguir temos um breve resumo das configurações atuais do antivírus. Logo abaixo está o botão Iniciar escaneamento, que dará início ao processo de verificação de vírus. Depois que o processo for iniciado, alguns itens mudam nessa janela:




    São exibidos, durante a varredura, o número de arquivos verificados até o presente momento e o status da verificação. Aparecem também os botões Pausar o escaneamento que interrompe a verificação permitindo continuar depois, Parar escaneamento que cancela a verificação atual e o botão Executar em segundo plano que minimiza a janela e permite usar o computador normalmente enquanto a verificação é feita.

    A maioria dos softwares antivírus faz a verificação no computador e informa o número de ameaças encontradas até o momento, mas só gera a lista de arquivos infectados e o nome das ameaças encontradas somente quando a verificação é concluída. O Avast é diferente, se alguma ameaça for encontrada, a verificação é interrompida, uma sirene toca e um aviso aparece na tela.




    São repassados o caminho do arquivo infectado, o nome e o tipo da ameça, além das medidas que você pode tomar em relação à isso:

    Renomear/Mover - Renomeia a extensão do arquivo para que ele seja marcado como infectado. Ele também poderá ser movido do local de onde está.
    Excluir - Exclui permanentemente o arquivo infectado. Você terá também a opção de excluir o arquivo ao reiniciar o computador caso ele esteja sendo executado no momento e não possa ser excluído.
    Mover para a Quarentena - Remove o arquivo do local atual e move-o para um banco de dados, do qual ele pode ser restaurado para o usuário.

    Caso você não saiba qual medida tomar, poderá seguir a ação recomendada, que aparece logo abaixo dessas opções. Se, por algum motivo, você não desejar remover o arquivo basta clicar em Continuar. Se mais ameaças forem encontradas no computador, outros alertas como esse aparecerão.

    Quando a verificação for conluída poderá aperecer um relatório com arquivos onde a verificação pode não ter sido realizada. Geralmente são arquivos da quarentena de antispywares ou outros programas do tipo. Ameaças encontradas durante a verificação também aparecerão ali.




    Você poderá selecionar os arquivos, clicar no botão Ação e então decidir o que pode ser feito, mas o melhor mesmo é ignorar a lista simplesmente clicando no botão Sair.

    Você retornará para a tela principal do antivírus. Basta fechá-la e a verificação terá sido concluída.

    Veja na próxima parte como configurar o Avast!Antivírus.

    Tutorial Avast - Parte I

    Tutorial: Avast!Antivirus


    Avast!Antivírus é uma solução antivírus gratuita que está dando o que falar. Ao contrário de muitos antivírus gratuitos, o Avast é muito eficiente na detecção e remoção de vírus do PC. Além disso, esse software é leve (funciona até em PCs 486) e fácil de usar (possui interface em português e autoexplicativa).

    Devido à sua facilidade de uso, esse antivírus dispensaria tutoriais, mas com este tutorial, você poderá conhecer e avaliar o software antes de instalar.

    Parte 1: Instalação

    Atenção: Jamais instale em seu computador dois softwares antivirus diferentes. Se você deseja instalar o Avast no seu computador para testá-lo, remova o seu antivírus atual.

    A última versão do Avast pode ser baixada em
    http://files.avast.com/iavs4pro/setuppor.exe A instalação, apesar das várias etapas, é relativamente simples. Basta ir clicando no botão Continuar. Você poderá escolher entre a instalação típica, que instala todos os componentes, a instalaçao mínima, que instala somente o necessário e a instalação personalizada, que permite escolher o que instalar. Recomendo que você execute a instalação mínima, que instalará somente o necessário e economizará espaço em disco.




    Continue clicando em Continuar até que a instalação comece. Ao término da instalação será necessário reiniciar o seu computador para que a instalação se complete. Será questionado se você deseja agendar uma verificação em todos os discos rígidos após a reinicialização. Escolha Sim, a menos que você já tenha feito uma verificação com outro antivírus anteriormente.




    Após reiniciar o computador, o antivírus estará praticamente pronto para uso. A janela a seguir indicará que a instalação foi concluída.




    Observe que nessa janela consta a informação que o antivirus irá expirar em 60 dias e, se você desejar usá-lo por um tempo maior, terá que registrá-lo. Não se preocupe, o registro é fácil, rápido e gratuito! Se você desejar regitrar-se depois, clique em OK e estará pronto para usar o antivírus (Se você quiser, poderá ir para a próxima página deste tutorial, senão, continue lendo).

    Regitrando o antivírus

    Você poderá registrar o antivírus imediatamente se desejar. Basta clicar no link Página de Registro do avast! Home Edition e o formulário de registro abrirá
    em portugues. Se o formulário estiver em Inglês, você poderá deixá-lo em Português rolando um pouco abaixo e selecionando Portuguese (Brasileiro) no campo Registration language.




    Após preencher os campos necessários e enviar o formulário, você receberá um e-mail de register@avast.com com o assunto avast! Registration. Nele haverá um código de registro que você deve inserir no antivírus para ampliar o limite de 60 dias para 14 meses. Para isso, clique com o botão direito do mouse sobre o ícone criado ao lado do relógio do Windows e então clique em Sobre avast!.




    Clique no botão Chave da Licença e insira o código recebido por e-mail. Após ter inserido o código você poderá ver que a data de expiração já está alterada.



    O seu antivirus foi registrado com êxito e já está pronto para uso. Veja na página seguinte como usá-lo.

    McAfee Virus Scan 1 ano Grátis






    McAfee VirusScan Plus 2009 grátis por um ano
    11/12/2008 16:30

    O McAfee é um dos mais populares softwares antivírus do mercado. Se você estiver procurando por um bom software antivírus, aqui está uma promoção onde você pode obter uma assinatura anual gratuita do McAfee VirusScan Plus 2009. Normalmente ele custa R$ 99,00.

    Siga os passos abaixo para obter esta oferta:

    Navegue até a
    página da oferta:

    Na caixa destacada em vermelho (imagem acima), insira o código promocional VSPPROMOCF e clique no botão Submit Code. Aparecerá a página abaixo, note que o preço mudou para 0,00. Clique no botão Checkout:

    Aqui você precisará se registrar. Basta entrar com nome, sobrenome, endereço de e-mail, senha, repetir a senha (que deverá ter no mínimo 8 caracteres e ao menos um número). Clique no botão I Agree:

    Na próxima janela, clique em Go to My Account:

    Agora, clique no botão Download e na próxima página em I Agree. Agora clique no botão Download no alto da página:

    Isso baixará o instalador do programa. Durante a instalação, será solicitado o endereço de e-mail e a senha que você usou durante o registro. Este código promocional é válido até 31 de Dezembro de 2008 e McAfee VirusScan Plus 2009 é compatível com o Windows 2000, XP e Vista.

    Fonte:
    Fórum do BABOO